Principais Projetos de Pesquisa: História e teoria da Arquitetura e da Cidade

Em 05/05/21 16:03 Atualizada em 06/05/21 09:26

Cidade em quadros: estudos de Goiânia;

Arquitetura dos sentidos: entre o vernáculo e o popular

Coordenador: ADRIANA MARA VAZ DE OLIVEIRA

A pesquisa Cidade em quadros: estudos de Goiânia vincula-se à linha de pesquisa História e Teoria da Arquitetura e da Cidade por construir uma história urbana a partir dos bairros.  O bairro posiciona-se entre o espaço mais íntimo e privado da casa e o espaço desconhecido da cidade. Como ligação entre um dentro (casa) e um fora (cidade), o bairro, pode-se dizer, apreende a vida urbana de maneira abrangente, porque articula diferentes escalas e define-se, por semelhança ou diferença do todo citadino, porém, estabelecendo com ele coexistências. Nesse sentido, interessa o cotidiano, as memórias, uma rua, um edifício, entre outros. A pesquisa Arquitetura dos sentidos: entre o vernáculo e o popular vincula-se à linha de pesquisa História e Teoria da Arquitetura e da Cidade por investigar particularmente a arquitetura do homem comum. Averiguam-se as várias formas do morar vernáculo e popular, com o objetivo de reconhecer a interlocução entre a cultura e a casa do homem comum. O morar vernáculo vincula-se às raízes culturais da população, expressas nas formas tradicionais de morar, hábitos, apropriação, meios de construção, saber fazer, objetos, e outros. O morar popular caracteriza-se pela apropriação ou miscigenação de elementos externos à tradição cultural do que é investigado e assume papel relevante no contexto da moradia, expressando a contemporaneidade. Ambas pesquisas tem correlação com as disciplinas A cidade como questão; Projeto moderno e contemporâneo; Casas: abordagens múltiplas, Cultura do habitar

 

Reconstruindo documentações: narrativas e caminhos do projeto moderno em Goiânia ;

Hélio Oiticica e Lina Bo Bardi: A construção de resistências a partir da arte e da arquitetura

Coordenador: ELINE MARIA MOURA PEREIRA

Os projetos se relacionam com a historiografia da arquitetura  e do urbanismo modernos e a cultura arquitetônica século XX, suas interfaces com outras áreas do conhecimento e a cultura popular local (modos de construir e modos habitar), com enfoque especial na produção arquitetônica no Brasil e suas correlações com produções coetâneas na Europa, América do Norte e América do Sul. São disciplinas relacionadas a esses projetos: Projeto Moderno e Contemporâneo, Cultura do Habitar, Casas Abordagens Múltiplas, Rearquiteturas, Tópicos Especiais em teoria e história da arquitetura e do urbanismo.

 

A Reprodução da Arquitetura e do Urbano.

Coordenador: CAMILO VLADIMIR DE LIMA AMARAL

O projeto de pesquisa busca investigar a reprodução das relações sociais mediada pelo espaço produzido pela arquitetura, pelo urbanismo e pelo planejamento. A pesquisa está articulada com a disciplina Projeto Moderno / Projeto Contemporâneo, onde a arquitetura e o urbanismo são estudados em suas diversas relações com os sujeitos, tempo, métodos de interpretação e estruturas resultantes. A disciplina é obrigatória para discentes das duas linhas de pesquisa, pois estes estudos podem ser feitos através de leituras da teoria e da história e, também, das técnicas e processos de projeto. Desta forma, o referido projeto está articulado com as duas linhas de pesquisa do programa.

 

 

1- Universidades:  projetos, formas e tempos; 

2- Arquitetura, educação e cidades: paradigmas e subjetividades;

3- Descontinuidades em construção: leituras pós-modernas e contemporâneas.

Coordenador: CHRISTINE RAMOS MAHLER

Os três projetos de pesquisa apresentados se relacionam com a historiografia da arquitetura e do urbanismo, com a cultura arquitetônica e seus processos, com recorte temporal no século XX (modernidade e pós-modernidade). Interessam as interfaces com outras áreas do conhecimentos afins à disciplina, os paradigmas vigentes (narrativas oficiais) e a compreensão das manifestações dos cânones oficiais na arquitetura local para a análise e verificação de contrapontos teóricos. A documentação de projetos de referência selecionados para serem explorados nos planos de trabalho é uma das contribuições em cada projeto de pesquisa, assim como as reflexões dela decorrentes, a partir das quais serão elaborados produtos para publicação. O projeto “Arquitetura e educação: paradigmas e subjetividades” possui ainda um PIVIC 2020 - Escolas Modernas e os Espaços da Cidadania: novos paradigmas, de Suzy Lima Coelho (COMPEEX 2020) e 3 TCC associados; assim como o projeto “Universidades: projetos, formas e tempos”, que possui o PIVIC 2019- Weverson Gomes de Oliveira, Campus Samambaia da UFG: projetos, formas e tempos (COMPEEX 2019).

 

ENTRÓPICOS

Coordenador: PEDRO DULTRA BRITTO

 

O campo temático do projeto Entrópicos é delimitado pelas políticas de subjetivação contemporâneas analisadas com enfoque nas interações entre as dimensões hegemônica/ regulatória e dominante por um lado; e, por outro, emergente, insurgente e singular. O projeto cartografa as tensões entre hegemonia e emergência; dominação e insurgência ou ainda regulação e singularidade, cujas configurações espaciais sentenciam múltiplos arranjos políticos. Investiga aspectos de ruralidade no meio urbano através dos regimes de legitimidade, de visibilidade e de ação que constituem diferentes modos de existência das territorialidades e dos sujeitos na cidade contemporânea. O projeto se insere nas duas linhas de pesquisa (História e Teoria da Arquitetura e da Cidade / Processos e Tecnologias de Projeto e Planejamento) e está diretamente articulado com as disciplinas Projeto Moderno e Contemporâneo e Casas Abordagens Múltiplas, Cultura do Habitar, Rearquiteturas, Tópicos Especiais em teoria e história da arquitetura e do urbanismo.

 

Conjuntos habitacionais: dos paradigmas modernos ao desígnio de seus moradores;

Colaboração entre arquitetos e artistas: murais e afrescos na arquitetura moderna brasileira;

Arquiteturas da Resistência.

Coordenador: FERNANDO ANTONIO DE OLIVEIRA MELO

Os projetos “Conjuntos habitacionais: dos paradigmas modernos ao desígnio de seus moradores” e “Colaboração entre arquitetos e artistas: murais e afrescos na arquitetura moderna brasileira” transitaram pela história e pela historiografia da cidade e da arquitetura moderna no Brasil, com recorte no Século XX. Têm afinidade com a Área de Concentração do PPG que prevê o estudo das interações e reações entre projeto, teoria, história e crítica. O recorte temporal das pesquisas permitiu um intenso diálogo com os vínculos históricos das capitais modernas Goiânia e Brasília: fenômenos, e objetos que caracterizam a formação e desenvolvimento da região do Brasil Central. Condição que cria vínculos com o campo de investigação de outros docentes da linha de pesquisa, bem como, com as disciplinas Casas: Abordagens Múltiplas e Projeto Moderno / Projeto Contemporâneo. Já ao projeto “Arquiteturas da Resistência” interessa as práticas culturais que configuram movimentos e expressões de resistências contidos no espaço urbano. Enquadra-se aqui o estudo de espaços que representem resistências culturais, resistências ao tempo, resistências socioeconômicas, relações entre gênero e o espaço urbano. Temas que criam conexões com a linha de pesquisa por se debruçarem sobre a complexidade da cidade contemporânea: crítica, teorias e práticas. Nesse sentido, a pesquisa vem se desdobrando em processos pedagógicos e metodológicos aplicados nas disciplinas, resultando em produtos que geraram publicação em periódico e apresentação e publicação de trabalho completo em seminários. Tornou-se, portanto, uma pesquisa que potencializa a interação entre graduação, pós-graduação e a comunidade externa, assim como, com projetos desenvolvidos pelos discentes do programa e com a disciplina A Cidade como Questão. É importante fazer esse destaque dos projetos coordenados pelo professor Fernando, uma vez que no final de 2020 foi aprovado seu credenciamento como permanente para o ano de 2021.